Iemanjá, mãe, sereia, inaé, janaína,
senhora das águas salgadas,
Seu tesouro é um mistério ainda
no fundo do mar sagrado onde é sua morada.
Seus saveiros transportam alegrias e dores...
Mas com o seu canto e seus encantos,
iemanjá faz o pescador chorar e com toda
a sua beleza e energia encantou a tudo e a todos.
Se você deseja agradar a rainha do mar faça
as suas oferendas com muita fé e amor.

Iemanjá: é o alento da criação, a energia geradora, manifesta-se nas águas salgadas, (no mar, conhecido também como calunga grande). Rege também todas as substâncias que se encontram no fundo dos mares. Comparada  com os outros orixás africanos, o orixá feminino iorubá iemanjá é uma figura extremamente simples. Ela é próxima da paz e da ausência de conflitos, em oposição ao mundo colorido, rico e até mesmo selvagem dos outros orixás, pois representa uma figura em muitos termos passiva: é a mulher que assume sua condição de dona-de-casa, de administradora do lar, de mãe e mulher em período integral.
Ela é uma das figuras mais conhecidas nos cultos brasileiros, com o nome sempre bem divulgado pela imprensa, pois suas festas anuais sempre movimentam um grande número de iniciados e simpatizantes.
Seu caráter é de tolerância, aceitação e carinho. É uma das rainhas das águas, sendo as duas salgadas: às águas provocadas pelo choro da mãe que sofre pela vida de seus filhos, que os vê se afastarem de seu abrigo, tomando rumos independentes; e o mar, sua morada.
É  a mãe de todos os orixás de origem iorubá, sendo nanã burukê a mãe dos orixás daomedanos.
Tanto iemanjá como oxum tem a função de cuidar da maternidade , mas cada uma domina a maternidade num momento diferente.
Oxum é a mãe no sentido da fecundação, gestação e criação do bebê, é guardiã da pequena criança até que ela comece a mostrar sinais de independência.
Iemanjá, por sua vez, é mãe daí por diante, recebe a função da maternidade não no sentido de gestação, mas de educação. É a mãe de criação.
Iemanjá não é a mãe que oferece o peito para o bebê mamar; ao contrário, é a mãe do jovem e do adulto, a figura materna que acompanha um ser humano por toda a sua vida. É a responsável pela socialização, pelo aprendizado das regras de comportamento, do encaminhamento do processo de assimilação do próprio destino.
Mesmo a pessoa sendo filho de outros orixás, iemanjá esta sempre por perto para auxiliar na criação.

Mãe d'água, rainha das ondas, sereia do mar, janaína. Iemanjá, mãe dos orixás, a senhora dos lares, que traz a paz e a harmonia para todas as famílias; divindade das águas salgadas, dos mares e oceanos; orixá que gera o movimento das águas; deusa da pérola, odoyá iemanjá.

Nós, todos os seus filhos, sim, porque todos somos seus filhos, te saudamos e te louvamos - odoyá, odoyá iemanjá !!!

Cor a ser mentalizada: azul da cor do mar

O que mentalizar: o mar, as ondas do mar, o balanço do mar ...

Elemento: água

Cânticos:  são entrecortados, ondulados, como as ondas do mar... Suaves e enaltecem o mar...

Botei meu barquinho n'água pra ele poder navegar
Pedi licença primeiro a minha mãe iemanjá
Ô iemanjá, ô iemanjá leva ele pro fundo do mar

Guias: as guias de iemanjá são nas cores: branca transparente ou azul bem clarinhas de cristal - em nossa casa branca padronizamos a guia de cristal no 8. São feitas em múltiplo de 7 de forma a contornar o plexo solar. Esta guia só pode ser usada pelos médiuns que se afinam de uma forma incomum com esta energia, após entendimento e conversa com os zeladores, e deve nascer após a quinta obrigação: ( os dois orixás ), que é dada pelos zeladores da casa e sob sua responsabilidade.

Características de seus filhos: super protegem a todos que os cercam, formosura, franqueza, alegria, desconfiança, gostam de luxo, tecidos vistosos, jóias, um pouco chantagistas emocionais, não gostam de viver sozinhos, não gostam de empregos competitivos que pareçam uma batalha, mentem com uma certa facilidade e não jogam na vida muito "aberto" (suas coisas são envoltas num certo "que misterioso") orgulhosas, choronas, muito sensíveis ...

Dia que se comemora iemanjá:  15 de agosto (de acordo com o calendário oficial de umbanda )

Dia da semana: sábado

A dança de iemanjá: suave como se estivasse sendo embalada nas ondas do mar.

A saúde e os filhos de iemanjá: problemas de rins, ovários, fraqueza uterina - (nas partes baixas) tanto dos homens quanto das mulheres. Deficiência circulatória. Nos homens muitos problemas de estômago.

O que pedir a este orixá : harmonia no lar, entre casais, entre amigos e enamorados; para fertilidade, riqueza, êxito nos negócios, e  harmonia. Saúde física, mental e espiritual

Flores: palma branca, rosas brancas, copo de leite, flores brancas em geral, flor de laranjeira, angélica, hortência branca, ( pega também as flores de nanã e oxum )

Frutas: graviola, pêssego, melão, melancia, tâmara, pêra, maçã, uva de todas as espécies.

Ervas: alfavaquinha, cana do brejo, poejo, rama de leite, jarrinha, erva de santa luzia, lágrima de nossa senhora ( contas e folhas ), manjericão, alfazema, jasmim, mangerona, malva branca.

Bebidas: champanhe, água do mar e sumo de suas próprias ervas

Mineral: prata.

Oferendas: todas as vezes que os zeladores ou a direção espiritual da casa percebe a necessidade de um filho fazer uma oferenda para um orixá lhe será dado o pedido e marcado o dia a ser feito..

Saudação: "odoyá! Odoyá iemanjá!" 

Odo = rio
Ya = mãe
Salve a mãe do rio, ou ainda
Odofeiaba:
Corruptela de odo = rio
Fê = amada;
Eabá = iyààgba = senhora = amada senhora do rio. É uma energia feminina.

Pontos

 

Ô iemanjá
Rainha das ondas sereia do mar
Mãe-d'água seu canto é bonito
Faz até o pescador sonhar
Quem ouvir a mãe d'água cantar
Vai com ela pro fundo do mar
Rainha das ondas sereia do mar

Brilhou,  brilhou, brilhou no mar
O canto da nossa mãe iemanjá
Brilhou, brilhou no mar
E agora vai brilhar neste congá
Como brilhou